sábado, 5 de março de 2011

O anel





















Ela era uma menina tão doce, tão amorosa...
Aos quatro anos era uma exímia caçadora de joaninhas, entrava embaixo do chuveiro de guarda-chuva e morria de medo de pisar no canteiro de margaridas e cair no Japão.
Um dia , tomada de imensa alegria e transbordando de amor, me disse:
- Algum dia vou te dar um anel bem lindo , com uma pedra bem grandona.
Enchi suas bochechas de beijos e respondi sorrindo :
- É uma pena que você ainda não saiba escrever para colocar isso num papel e assinar embaixo.
Os anos se passaram, muitos anos, e em março deste ano , dentro do carro, indo comemorar meu aniversário ela tirou da bolsa uma caixinha e me entregou dizendo:
- Mãe, este presente, eu te prometi há muito tempo!
Sem imaginar o que seria , abri a caixinha pequenina e encontrei um anel com uma pedra azul.
Nossos olhos se encontraram e nesse momento, por uns segundos , o tempo voltou e milagrosamente vi a minha menina de quatro anos me abraçando e dizendo:
- Mãe , algum dia vou te dar um anel bem lindo , com uma pedra bem grandona.
Fiquei sem palavras, o coração transbordando de felicidade e silenciosamente agradeci à vida por mais esse presente.
A pedra do anel é um topázio azul .
Segundo os gregos, foram reunidos no topázio azul os deuses do céu e da terra , onde deliberavam sobre a exclusão dos males para fazer com que o céu e todos os mares aparecessem transparentemente azuis .
Então, hoje, especialmente hoje, o céu apesar da chuva, subitamente ficou azul e uma única estrela pingou no meu dedo.

Nana Pereira

2 comentários:

Shogo disse...

Nadia Mara Meiga!
Achei linda esta história!
Meus olhos transbordaram de emoção!
Beijos

Américo do Sul disse...

Nana... vc nos conduz com uma doçura única. Ler vc é caminhar pela emoção, sem tropeços...